Chega de fazer das tripas coração

Eu costumava achar a expressão ‘fazer das tripas coração’ algo lindo e forte de ser dito, e também valorizava muito quem se comportava assim, todo invencível, quando não se conformava com um fato. Entendia que o esforço demasiado era admirável, coisa de gente forte e guerreira. Com o tempo percebi que nem sempre é assim, que esse esforço excessivo pode também ser um sinal de que não trabalhamos internamente nossa aceitação frente às situações, ou seja, um comportamento típico de quem não consegue lidar com as próprias frustrações e limites.

Quando as coisas não acontecem como a gente quer ou no tempo em que queremos, algo dentro de nós desaba, o coração é partido, as tristezas se instalam e perdemos o rumo. Tendemos a tomar dois tipos de postura nesse momento: ou desistimos fácil, ou então ‘fazemos das tripas coração’!

As frustações são inerentes a vida. O amadurecimento de uma pessoa implica em lidar com a frustração e aceitá-la como uma parte dos nossos melhores sentimentos, pois em momentos difíceis e de extremos emocionais é que nós temos grandes aprendizados sobre os limites e preços que, internamente, somos capazes de pagar.

Em vez de se entregar para a dor ou pegar os intestinos e fazê-los substituir o órgão que simboliza o amor, que tal trabalharmos a aceitação? Chega de tanto esforço, merecemos o equilíbrio.

Trackback URL

One Comment on "Chega de fazer das tripas coração"

  1. Daniel Mezacasa
    09/06/2014 at 4:05 am Permalink

    Obrigado Kety, este texto caiu muito bem pra mim neste momento.

Hi Stranger, leave a comment:

ALLOWED XHTML TAGS:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Subscribe to Comments