Cadê todo mundo?

Faz cinco anos que eu escrevi esse texto, mas o conteúdo me pareceu tão atual…

Tem épocas em que a vida ensina a gente a se virar, não é mesmo?

A gente pede para alguém nos dar uma força em determinado trabalho, a pessoa concorda, mas não faz. Tenta falar das suas coisas com um amigo e ele só responde com as questões da própria vida dele, faz combinações com as amigas e elas esquecem, distribui tarefas e elas não são feitas…

Parece que as pessoas somem de repente! Mas, normalmente, não me sinto rejeitada – eu disse normalmente – e nem a minha auto estima piora com esses acontecimentos, não, pelo contrário, descubro que um tantinho de autossuficiência não faz mal para ninguém e é bem bom se dar conta que temos condições de tocar nossas coisas em frente sem ter que parar toda hora pra pedir ajuda ou desabafar! Muitas vezes é só o hábito, e não a necessidade, que nos faz sair em busca de tanta atenção externa.

Gosto de relacionamentos e não de dependências! Se as coisas não fluem de um jeito, podemos sempre ter a opção de que fluam de outra maneira. Se vai ser melhor ou pior, bom, aí já é outro assunto. O fato é que não precisamos entrar em desesperos ou crises de abandono. É normal – e faz crescer – os períodos em que ficamos invisíveis ao mundo.

Não são as pessoas que somem do nosso alcançe, nós é que desaparecemos temporariamente para o mundo. Aprenda com a experiência, transforme-se e volte a se relacionar. O mundo sempre estará lá, nos esperando…

Trackback URL

2 Comments on "Cadê todo mundo?"

  1. kiki
    21/10/2013 at 2:18 pm Permalink

    Oi! Tô Aqui!
    Beijos
    Kiki

  2. Kety Lisbôa Daudt Maus
    21/10/2013 at 7:29 pm Permalink

    Grata Kiki! rsrss
    beijos

Hi Stranger, leave a comment:

ALLOWED XHTML TAGS:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Subscribe to Comments