Os desacordos e as doenças

Lendo o texto “Areia Movediça” me fez lembrar uma afirmação sobre doença do Dr. Bach – bacteriologista, homeopata e criador do conhecido Sistema Florais de Bach. Depois de muita pesquisa ele observou que quando agimos em desacordo com o nosso Eu Superior, ou seja, mais de acordo com nossa personalidade, isso cria um grande conflito que nos deixa doente, porque aquilo que está dentro de mim não está sendo respeitado, estou agindo conforme paradigmas e conceitos, os quais me foram ensinados, e que muitas vezes não condizem com aquilo que realmente EU SOU, e sim, com parte da minha personalidade.

Ser livre é estar em paz com meu coração e me sentir amada por que sou exatamente assim. Ser eu mesma é sinal de respeito aos outros e aceitando as diferenças posso, com o tempo, ir descobrindo outras possibilidades de interagir que me alegram, fazendo realmente parte do meu Eu Superior. Isso talvez possa ser chamado de aperfeiçoamento, desde que tenha ressonância com meu coração.

Que eu consiga ser diferente quando isso fizer a diferença no meu propósito de vida.

Beijos Floridos!

Trackback URL

2 Comments on "Os desacordos e as doenças"

  1. J. Roveda Jr.
    01/06/2011 at 11:09 am Permalink

    Enquanto você está acreditando ser qualquer outra coisa que não o Eu divino, eu chamo isso de estado de sono. (Entrevista Prem Baba) – tava no meu twitter agora de manhã.

  2. Cris
    03/06/2011 at 1:17 pm Permalink

    Minha doce Carmem,
    Este post e do “areia movediça” estão de acordo com meu momento, ou melhor com meu ex momento, rsrs.
    As vezes levamos nosso corpo ao um estado extremo. Esticamos tanto a corda que ela arrebenta. Aí não tem o que fazer, esperar o corpo sarar, e enquanto isso refletir sobre o que nos levou a este estado. Que caminho escolhi que me levou ao sofrimento ?? Então é hora de reavaliar e mudar o rumo, refazer a rota, por uma estrada mais tranquila e mais de acordo com a nossa verdade. Forçar, sempre é ruim. Ninguém é super-homem ou mulher maravilha, e treinar o olhar sobre onde está o limite e sobre onde nos desviamos do caminho é essencial para o bem estar e saúde, em todos os níveis.
    Obrigado pelas palavras que me lembram um buquê e que me alegram a alma!
    Saudade, com carinho,
    Cris Coruja

Hi Stranger, leave a comment:

ALLOWED XHTML TAGS:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Subscribe to Comments