Atemporal

Outro dia eu conversava com algumas amigas sobre a maturidade feminina, menopausa, envelhecimento e coisas assim. Assunto considerado chato para alguns, especialmente os que não tem ainda quarenta anos.

É impressionante como cada mulher reage de forma diferente à isso, se importando com situações diferentes e que refletem seus – diferentes – valores de uma vida toda. Umas têm problemas em se adaptar às novas tecnologias, outras em aceitar um novo formato físico, ou até mesmo em readaptar seus objetivos de vida, enfim…

Acho que os homens maduros também devem passar por coisas semelhantes. E ainda me sinto surpreendida quando me dou conta – ou me dão conta – de que estou em uma faixa etária que restringe muitas possibilidades. E não é preconceito meu não, é que falam isso na cara da gente o tempo todo, coisinhas bobas do tipo: porque não pinto o cabelo e como posso gostar de cabelho grisalho; deixei de ser chamada de ‘ô moça’ para ser ‘ô tia’; nada de ‘tu’ agora é só ‘senhora’, e por aí vai.

Puxa vida, me sinto bem maior do que a cor do meu cabelo ou da firmeza da minha pele! Independente da idade, do corpo, do nome e da personalidade que hoje eu carrego, eu ainda sou eu mesma. Atemporal.

Trackback URL

, ,

One Comment on "Atemporal"

  1. Cesar Rodrigues
    20/11/2009 at 9:30 am Permalink

    Posso falar por mim. Como homem, me sinto muito novo apesar do cabelo dizer o contrário, mas é como se agora eu estivesse em condições de começar tudo de novo. Ou simplesmente começar.
    Também depois de tanta trombada e tanto ensinamento…
    Também me sinto atemporal sim, e um eu bem melhor!
    Beijos!

Hi Stranger, leave a comment:

ALLOWED XHTML TAGS:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Subscribe to Comments