I Ching, o Livro das Mutações

ichingVocês já ouviram falar, leram sobre ou já tiveram contato com o I Ching (Kiki, me dá uma mão aí)?

Quem ainda não ouviu falar, deveria ao menos ler sobre. O I Ching é um dos oráculos mais fascinantes que há. Apesar de metafórico, ele é preciso em suas respostas. Mesmo sendo fácil de aprender, é complexo de se dominar.

Como essa foi uma das minhas primeiras “matérias” no começo dos meus estudos, o conhecimento do I Ching anda um pouco empoeirado – mas mesmo assim eu gostaria de dar o meu depoimento aqui.

Os computadores, desde seu princípio até hoje se utilizam de um sistema de representação chamado de código binário. Pois saibam vocês que o I Ching usa esse mesmo código. Mas os computadores têm (alguém aí por favor me corrija se eu estiver errado) uns 60 anos. O I Ching tem uns 4000. A grande sacada dos chineses foi representar os princípios universais Yang e Yin como uma linha inteira (yang) e uma linha partida (yin).

De maneira muito, mas muito resumida mesmo, o Yang é claro/masculino/ativo. Por sua vez, o Yin é escuro/feminino/passivo.

Cada conjunto de três linhas compõe o que é chamado de trigrama. Os trigramas são oito no total. Pra quem conhece Feng Shui, o baguá são os oito trigramas juntos. Os trigramas são “representações de tudo o que se passa no céu e na terra.” O I Ching é chamado de O Livro das Mutações porque os trigramas também representam estados transitórios em permanente mudança.

Em uma consulta de I Ching, faz-se uso de dois trigramas juntos: o inferior e o superior. A essa junção de dois trigramas, chamamos de hexagrama. O I Ching trabalha com um total de 64 hexagramas. Para cada um destes, há um texto. Dentro de cada texto há comentários sobre cada uma das seis linhas…

…e tudo isso faz parte da resposta à pergunta que se fez.

E antes que esse texto fique muito chato de ler eu quero dizer que – a partir dessa semana (na segunda-feira pra ser mais exato) – eu vou postar aqui semanalmente e de maneira aleatória um dos hexagramas do I Ching. Vai ser como o Céu astrológico da semana que a Kety escreve – mas apenas com o texto principal do “Livro das Mutações”.

E a fim de estimular a reflexão promovida pelo hexagrama, a cada um deles postado seguirá um papel de parede pra download.

Trackback URL

, , , ,

5 Comments on "I Ching, o Livro das Mutações"

  1. MAURÍCIO SPINDLER
    06/06/2009 at 9:49 pm Permalink

    Gostei da ideia Jr. estarei acompanhando.

    Beijo em seu coração

    Maurício

  2. christine
    07/06/2009 at 4:17 pm Permalink

    Junior!

    Desde que comprei o livro do I Ching , leio toda noite um dos hexagramas , e é incrível como a gente aprende com eles. O I Ching serviu de inspiração para o surgimento da acupuntura, pois os dois são baseados na observação dos fenômenos naturais , nas mudanças constantes da natureza aplicados ao ser humano que é parte do todo.
    Os hexagramas são compostos de dois trigramas , ou seja, três linhas formam um fenômeno da natureza ( o céu , o trovão , a montanha ) que se une a outro fenômeno da natureza ( outro trigrama ) e formam um movimento , um estágio de mutação. Separando estas seis linhas em duplas, sempre interpretamos as duas primeiras representando a Terra , as duas linhas do meio o Homem e as duas linhas acima o Céu.
    Uma história legal a respeito do livro das mutações – I Ching – é sobre o psicólogo Jung , que fez a introdução do livro na versão ocidental. Ele achou interessante perguntar ao livro – através do uso das varetas – qual a sua opinião sobre si mesmo , como se fosse um “ser vivo “, com capacidade de se auto interpretrar. E qual foi a resposta ?? O hexagrama 50 – o caldeirão :
    o fogo sobre a madeira , a imagem do caldeirão , que contém referências ao cultivo da vida tal como era transmitido pela tradição oral dos ensinamentos na China , que cultivava um meio de união do consciente com o inconsciente como forma de unir a nossa vida ao nosso destino , como o encarrilhar do trem ao seu trilho. E o I Ching se acha capaz de nos auxiliar a encontrar nosso destino e compreendermos os nossos movimentos.
    Chega de falar , né !
    Beijos
    KIKI

  3. J. Roveda jr.
    08/06/2009 at 8:09 pm Permalink

    Chris, olha só. Pra quem tem mais de 30 e um pouquinho de memória: lembra da Dóris Giesse? Pois é, eu me lembro de ler uma entrevista dela tem uns 20 anos na qual ela disse que sempre consultava o I Ching antes de dormir – era uma mania dela.

    …eu só fico imaginando se ela usava varetas ou moedas…

  4. christine
    09/06/2009 at 9:03 am Permalink

    a gente podia combinar um dia para consultar o i ching junto , que tal ?
    KIKI

  5. voyance
    10/07/2013 at 8:32 am Permalink

    What’s up friends, nice post and fastidious urging commented here, I am truly enjoying by these.

Hi Stranger, leave a comment:

ALLOWED XHTML TAGS:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Subscribe to Comments