Assunto delicado

Tenho lido nos jornais e revistas sobre as polêmicas marchas que ocorreram em todo o país para a legalização da maconha.

Não sou e nunca fui a favor de nenhum tipo de substância que possa provocar alterações de consciência. Acredito que o ser humano deve ser responsável pelos seus atos e toda a força deve vir do seu próprio interior, e não de algum material externo. Uns dizem que causa dependência, outros não, mas o que mais me importa é que devemos ser totalmente livres para agirmos de acordo com os nossos sentimentos elevados.

As drogas sempre foram um assunto delicado.

Acredito que deveríamos nos preocupar com coisas muito mais presentes na nossa rotina, como a ingestão de bebidas alcoolicas, os cigarros, jogos de azar e todo o tipo de má influência que projetamos para nossos filhos. Como podemos impedir que eles caiam nas mãos de agentes nocivos, se desde a mais tenra infância eles veem seus pais, padrinhos e até seus educadores em atitudes tão desequilibradas quanto o uso de drogas. Afinal, não é por ser legalizado que o fumo é menos nocivo, sabemos que o cigarro contém centenas de substâncias que causam alto teor de dependência. Então, se quisermos que nossos filhos não corram tantos riscos devemos dar bons exemplos! Lembrem-se do vídeo que foi postado algumas semanas atrás “Criança vê, criança faz”. Quando conseguirmos ser coerentes com o nosso discurso e tornarmos a nossa vida livre de maus exemplos, não precisaremos mais perder tempo discutindo algo que seja nocivo, e estes problemas serão automaticamente eliminados.

Trackback URL

, , , , , ,

One Comment on "Assunto delicado"

  1. Patrícia Albernaz
    15/05/2009 at 3:55 pm Permalink

    Muito bacana o seu post, Jeferson! Além de todo o dano (nem tudo o que é natural é bom prá saúde, e essa é uma das argumentações mais frequentes feitas pelos usuários) para o organismo ainda existe a questão da vibração da droga, de toda a energia densa que a permeia… Posso falar abertamente? Primeiro, aos usuários que porventura lerem o meu comentário: RESPEITO as escolhas de cada um, e sei que existe uma grande diferença entre ser usuário e ser dependente. O problema é que só se descobre se é um ou outro usando… E aí, uma vez adquirida a DEPENDÊNCIA, todo mundo já sabe o resto… Voltando a questão da energia, das vibrações em torno das drogas (incluo o álcool e tabaco), em volta da “aura” da maconha, da cocaína, do crack, etc.. tem: sangue derramado pelo tráfico, famílias inteiras destruídas, desequilibradas, sofrimento, dor, prisões, … Ok, é um assunto muito polêmico e não pretendo ofender ninguém, tenho amigos que usam maconha e alguns nunca se tornaram dependentes e/ou passaram para drogas mais pesadas, e, sabem, gosto muito deles (e eles de mim! 🙂 , mas já perdi um ente querido por conta de crack, e ele começou usando… vc sabe… maconha… É legal uma pessoa jovem como você ter a coragem de corre o risco de ser tachado de careta e dar a sua opnião de forma tão respeitosa, sensata e inteligente. Finalizo reforçando o que vc diz sobre a influência disso sobre nossas crianças. Eu sou mãe e também tenho um sobrinho que amo como ao meu filho. Ambos são crianças, mas se tornarão adultos. Eu não quero isso prá eles. Abraço forte!

Hi Stranger, leave a comment:

ALLOWED XHTML TAGS:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Subscribe to Comments